Caso sua dúvida não esteja contemplada a seguir, teremos o maior prazer em lhe atender para esclarecê-la.

Vou fazer uma cirurgia. Como funciona o pagamento do anestesista?

Os anestesiologistas são médicos que não trabalham para convênios e, desta forma, devem ser remunerados pelo próprio paciente. Entretanto, a ANS garante ao paciente o direito ao reembolso dos valores gastos com o anestesiologista, mediante a apresentação de recibo junto à operadora de saúde. Ou seja, o paciente efetua o pagamento ao anestesiologista e apresenta o recibo de pagamento na operadora de saúde, a qual irá reembolsar o valor gasto, em prazo variável. Em caso de pagamento em cheque, o anestesista não é obrigado a aguardar o reembolso para efetuar o depósito. Esta condição poderá ser negociada diretamente com o anestesista.

Gostaria de ligar as trompas. Como devo proceder?



A legislação brasileira (LeiI N. 9.263, de 12 de Janeiro de 1996) informa que mulheres com mais de 25 anos ou pelo menos dois filhos vivos podem ser submetidas à laqueadura tubária. Mulheres que não se enquadrem nestes critérios, mas apresentem risco à vida ou de futuro concepto em caso de nova gestação, também poderão ser submetidas à laqueadura tubária, desde que testemunhado em relatório escrito e assinados por dois médicos. Além disso, para realização do procedimento, é necessário o preenchimento de termo de consentimento, com assinatura da paciente e seu cônjuge.

O que é melhor para mim? Um parto vaginal ou cesariana?
 

Esta pergunta é muito difícil de responder. À princípio, o parto vaginal é a forma mais fisiológica para o nascimento do bebê. Entretanto, o mesmo deve ser realizado em ambiente hospitalar, com acesso a suporte médico obstétrico e pediátrico para eventuais emergências, estrutura para monitorização fetal e acesso rápido a um centro cirúrgico para realização de emergência, se necessário. Em alguns casos, existem contraindicações ao parto vaginal ou situações que aumentam o risco de complicações no parto vaginal. A decisão da via de parto nunca será exclusiva do médico obstetra e deve ser compartilhada com a família. Importante lembrar que a cesariana não é procedimento isento de riscos e deve ser bem indicada.​

01

02

03

O que é Consentimento Informado?

Consentimento Informado é um termo que deverá ser assinado por toda paciente antes da realização de um procedimento médico, quer seja uma cirurgia, parto vaginal ou anestesia. É termo onde são discriminadas as complicações possíveis do procedimento proposto. A maioria dos hospitais particulares exige sua assinatura no momento da internação. O documento garante à paciente o direito à informação, obrigando o médico assistente a esclarecer todos os riscos potenciais que estará submetida.

04

Perguntas frequentes

05

Qual é o tipo de anestesia a que serei submetida?

Nem sempre é possível determinar com antecedência o tipo de anestesia que a paciente será submetida. Toda paciente é avaliada pelo anestesiologista, o qual, em conjunto com o médico assistente, decidem a melhor forma de realizar a anestesia para o procedimento cirúrgico.

Em geral, a cesariana é realizada através da raquianestesia, o parto vaginal através de anestesia peridural e/ou raquianestesia e a cirurgia vídeolaparoscópica é sempre realizada através de anestesia geral.

 

06

Em que hospital eu vou ser operada?

A escolha do hospital depende de vários fatores, como patologia a ser operada, gravidade da doença e cobertura pelo plano de saúde.

Com base nesses fatores, nossa equipe realiza partos e cirurgias na Casa de Saúde São José, Maternidade Perinatal de Laranjeiras, Casa de Saúde Santa Lúcia, Hospital do Amparo Feminino e Hospital Pasteur.

 

© 2014 por Clisam. Todas as publicações de fotos de crianças neste site foram autorizadas por um de seus responsáveis legais.

  • w-facebook
  • Twitter Clean